Questão Brasil edição nº. 87

Questão Brasil | Assuntos de Goiás TV

domingo, 28 de agosto de 2016

Análise: Pesquisa Grupom derruba especulações de final da pré-campanha – YouTube – Assuntos de Goiás – Eleições 2016


 
As primeiras pesquisas e o início da campanha em Goiânia mostra o mesmo cenário da pré campanha, Iris segue na frente e com uma confortável margem para o segundo colocado. 

Waldir Soares se mantém na segunda colocação à frente de Vanderlan Cardoso.

Iris Rezende tem a vantagem de ser o candidato mais conhecido e Vanderlan o menos conhecido dos três. 

Isso pode mudar alguma coisa? Pode, mas o tempo curto de campanha talvez não seja suficiente para mudar o cenário até o dia 02 de Outubro.

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Sócios de Marconi Perillo têm contratos públicos em Goiás – Assuntos de Goiás – Eleições 2016

Governador comprou terreno com empresas e fornecedores que recebem do governo
Governor of Goias State Marconi Perillo gives his testimony to the Brazilian Senate's Ethics Committee in Brasilia

Três dos oito sócios do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), na compra de um terreno de um milhão de metros quadrados, em Pirenópolis (GO), receberam milhões do governo do estado.

Na lista dos sócios do governador estão as empreiteiras Fuad Rassi Engenharia e CCB Construtora Central do Brasil, e José Augusto D’Alcântara Costa, dono de uma empresa de eventos que também tem contratos com o governo.

Leia mais... Sócios de Marconi Perillo têm contratos públicos em Goiás - Jornal O Globo

Giuseppe Vecci caiu no grampo da PF: deputado do PSDB agiu por empresa que doou R$ 1 mi para sua campanha – Eleições 2016 | Politica

O deputado Giuseppe Vecci (PSDB/GO) caiu no grampo da Polícia Federal agindo intensamente em favor de uma empresa contratada pela companhia de Saneamento de Goiás (Saneago) – alvo da Operação Decantação por suposto esquema de financiamento de partidos com recursos do PAC, do BNDES e da Caixa e pagamento de dívidas de campanha da reeleição do governo Marconi Perillo (PSDB), em 2014. 
vecci

Segundo a PF, a empresa supostamente favorecida pela ação de Vecci, a JC Gontijo Engenharia, doou R$ 1 milhão para o PSDB depois que recebeu valores relativos ao contrato com a Saneago. 

A empresa havia doado R$ 1 milhão para o parlamentar, nos dias 30 de outubro e 4 de novembro de 2014, maior quantia repassada ao então candidato à Câmara. 

Decantação foi deflagrada nesta quarta-feira, 24. A PF prendeu o presidente do PSDB em Goiás, Afrêni Gonçalves, e o presidente da Saneago, José Taveira Rocha, ex-secretário da Fazenda de Perillo. 

 A PF também grampeou diálogo entre o empresário José Cesário Lopes, da Gráfica Moura, e o presidente da Saneago. Os dois conversam sobre uma dívida de campanha de cerca de R$ 400 mil do governador, em 2014. 

 A malha de grampos da PF pegou Afrêni Gonçalves no telefone e em mensagens por e-mail. Áudios ‘evidenciam’ acertos entre o tucano e o diretor de Gestão Corporativa da Saneago, Robson Salazar, para ‘favorecer’ o pagamento da JC Gontijo, detentora de contrato de empreitada com a estatal de saneamento da gestão Perillo. 

 A interceptação da PF pegou um e-mail, em 28 de agosto de 2015, de Edson Filizola para Afrêni tratando das obras de ampliação da ETE de Goiânia e da obra de Águas Lindas. 

“Em telefonemas realizados na sequência, Afrêni Gonçalves e o deputado federal Giuseppe Vecci intercedem junto ao diretor de Gestão Corporativa, Robson Salazar, no sentido de que fosse liberado uma contrapartida da Saneago a empresa JC Gontijo”, diz relatório da Operação Decantação. 

Para os investigadores, ‘existem fundados indícios de que o investigado (presidente do PSDB em Goiás) dá provimento ao núcleo político da organização criminosa, dirige, age e interage na Saneago para beneficiar aliados políticos, direcionar contratos, abreviar pagamentos e percutir dinheiro para o PSDB e campanhas políticas’.

O deputado Vecci não estava sob monitoramento. 

A competência para eventual investigação sobre o parlamentar é exclusiva do Supremo Tribunal Federal. Ele caiu no grampo da PF indiretamente, como em 28 de setembro de 2015, quando recebeu telefonema de Afrêni – este sim alvo da Decantação. 

Nesta ligação, Vecci pede para o presidente do PSDB ‘conversar com Robson Salazar no sentido de que este pagasse José Celso (Gontijo), proprietário da JC Gontijo’. 

 Antes mesmo, um áudio de 28 de agosto de 2015 pegou Salazar e Vecci, no qual o deputado pediu para o diretor de Gestão da Saneago ‘receber José Celso Gontijo na Saneago’. 

No dia 16 de setembro de 2015, Salazar recebe outro telefonema em que o deputado tucano diz ‘Tião Caroço e o Zé Celso estão esperando a contrapartida deles’. 

 No mesmo dia, o empresário José Celso Gontijo ‘conversa com Robson Salazar, diz que já falou com Vecci e que tudo estava certo para a liberação da contrapartida da Saneago’. 

Em 28 de setembro de 2015, aponta a rede de grampos da PF, Vecci pede para Afreni ‘conversar com Robson Salazar para pagar o José Celso’.

Em outra ligação, o presidente do PSDB de Goiás ‘conversa com Robson Salazar, que diz que ‘está tudo certo’. 

No mesmo dia, Afrêni em conversa novamente com o deputado afirma que ‘o JC Gontijo já foi pago’. 

 Para os investigadores, ‘no contexto mais amplo no qual os fatos se inserem não se pode afastar o entendimento de que os valores recepcionados pelo PSDB fora a título de propina, ainda que sobe a forma de doação, porque disfarçadas do seu real propósito’. 

 COM A PALAVRA, O DEPUTADO GIUSEPPE VECCI (PSDB/GO) 

 Em nota oficial, o deputado Giuseppe Vecci, do PSDB em Goiás, afirmou que não pediu ‘pagamento não devido, indevido, nem além do que era devido’
O deputado enfatizou que pauta sua atuação, no exercício do mandato, ‘pelo respeito institucional’. 

 LEIA A NOTA OFICIAL DO DEPUTADO GIUSEPPE VECCI 

“Sobre a investigação na Saneago e tendo em vista a divulgação de interceptação telefônica ilegal em relação à minha pessoa, não obstante não conter nenhum fato constrangedor ou ilegal no diálogo ilicitamente divulgado, venho esclarecer que, no exercício do mandato de deputado federal, pauto-me pelo respeito institucional e com esta máxima, solicitei por meio de ligação telefônica, que o diretor da Saneago recebesse em seu gabinete o empresário José Celso Gontijo, que havia me relatado situação de debilidade financeira de sua empresa, que teria créditos a receber junto a Saneago. Não pedi que fosse realizado pagamento não devido, indevido, nem além do que era devido.”
Giuseppe Vecci – Deputado Federal 

 COM A PALAVRA, A EMPRESA JC GONTIJO ENGENHARIA 

 O gerente de Marketing da JC Gontijo Engenharia, Marcos Sant’Ana, informou que a empresa ‘não tem conhecimento’ da investigação da Operação Decantação.

“Informo que não temos conhecimento da investigação e, por isso, não podemos emitir qualquer tipo de posicionamento sobre o assunto.”
 

“Um bobo não vira governador quatro vezes nunca né”, diz Taveira sobre Marconi em grampo da PF – Assuntos de Goiás – Eleições 2016

José Taveira Rocha, preso na Operação Decantação, foi interceptado com diretor de Gestão da companhia de saneamento, Robson Salazar.
 
Atualmente, em seu quarto mandato, a campanha do tucano teria sido beneficiada com recursos ilícitos do esquema Saneago – desvio de recursos da companhia para agentes públicos e financiamento de partidos políticos. 

“Um bobo não vira governador 4 vezes nunca né”, diz Taveira. 

 Os investigadores anotam que, no diálogo capturado pela Federal, o presidente e o diretor da Saneago ‘tratam da elaboração e execução de operações ilícitas e percentagem de valores, possivelmente de propinas, da ordem de R$ 6 milhões e correspondente a 3% do valor do contrato negociado’

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

As 14 apostas do PSDB, PSB, SD e PRB para vereador em Goiânia… Se a ordem for renovação,  poucos serão os eleitos – Eleições 2016 | Eu Digo Sempre

O eleitor goianiense quer mesmo mudança nos atuais quadros políticos?

Na visão dos caciques partidários não. Para chegar a esta conclusão basta dar uma espiada nas listas que líderes apresentam como sendo os "favoritos" de suas legendas para conquistar um novo mandato na Câmara Municipal da capital.

É cada vez mais forte o sentimento do eleitor exigindo mudanças na política brasileira, não só de nomes, mas também de práticas políticas. Ao mesmo tempo que o eleitor se mostra radical quanto a renovação, este mesmo eleitor que manifesta o desejo de mudança já se mostra disposto a fazer concessões e dar mais um voto de confiança aos políticos que eles julgam não ter feito nada a seu favor durante seus mandatos anteriores. As promessas são renovadas à cada quatro anos, e o eleitor durão prega aos quatro ventos que não vai acreditar de novo nas promessas, mas a realidade diante da urna é outra, ou melhor, é sempre a mesma.

Em matéria de poder executivo, Iris Rezende é o velho apresentado como novo, e tem gente que acredita ser ele o único capaz de governar Goiânia em tempos de crise. Sim a história do candidato, seus erros e acertos são levados em conta na hora de decidir e neste quesito o octogenário Iris tem muito à apresentar do que todos os outros candidatos juntos. Sim, a rejeição é grande também, muito maior que a dos adversários somados, e ai o discernimento do eleitor é que faz a diferença.

No legislativo não é diferente. Há nomes novos com ideias novas que sugerem renovação da forma de fazer política, assim como temos a nosso dispor pessoas de boa índole que praticamente exigem do eleitor que mude, apenas por mudar, não oferecem nada e muito menos dizem qual é o plano, caso sejam eleitos, para dar representatividade ao povo no seu mandato.

Há na disputa deste ano pessoas bem intencionadas que colocaram seus nomes à disposição, mas é sabido que teremos na disputa aqueles políticos tradicionais que pretendem manter tudo como esta. Errado não é a forma como se faz política atualmente no Brasil, dizem alguns, transferindo desde já a responsabilidade para o eleitor que vota, mas não sabe cobrar as promessas da forma como deveria.

Acredito que teremos muitas novidades entre os eleitos para ocupar uma cadeira na Câmara Municipal de Goiânia, a minha aposta é que pelo menos 60% das cadeiras sejam renovadas, ou seja pelo menos 22 nomes novos para "representar" a população de Goiânia.

Líderes da aliança PSDB, PSB, Solidariedade (SD) e PRB avaliam que é possível eleger, pelo menos 11 vereadores em Goiânia e listaram seus favoritos, sendo que na opinião dos caciques há pouco espaço para renovação.




Fonte: 14 favoritos do PSDB, PSB, SD e PRB para vereador em Goiás - Jornal Opção

Conheça os candidatos à Prefeitura de Aparecida de Goiânia e seus vices | RAEL Amigo Fiel 27.199 | Rael o Amigo Fiel

001.fw
Três coligações registraram seus candidatos à Prefeitura de Aparecida de Goiânia, na Região Metropolitana da capital, junto ao Tribunal Regional Eleitoral de Goiás (TRE-GO). 

Também foram oficializados os nomes dos candidatos a vice-prefeito e dos 565 postulantes ao cargo de vereador. A cidade tem o segundo maior colégio eleitoral do estado. 

O período para veiculação de propaganda eleitoral referente às eleições municipais de outubro começou no último dia 16. A campanha segue até o dia 1º de outubro, véspera do pleito. 

 Em Goiás, mais de 4,4 milhões de eleitores irão às urnas no dia 2 de outubro. O segundo turno, somente em cidades com mais de 200 mil eleitores, está marcado para 30 de outubro, último domingo do mês. 

 Confira abaixo a lista dos candidatos a prefeito e vice em Aparecida de Goiânia. 

- Coligação Avança Aparecida (PSDB, PP, PMN, PTdoB, PV, PEN, PTN, PROS, Rede, PSL e PSDC)
 
O candidato à Prefeitura de Aparecida de Goiânia pela coligação é o Professor Alcides (PSDB). Natural de Remanso, na Bahia, ele mudou para a cidade no final da década de 1960, onde fundou uma pequena escola, o Educandário Alfredo Nasser, que se transformou na Faculdade Alfredo Nasser (Unifan), da qual é diretor geral. 

O candidato, de 62 anos, é pai adotivo de três filhos e é formado em pedagogia, economia e administração de empresas. Já foi vereador por dois mandatos em Aparecida de Goiânia na década de 1980. 

Já o candidato à vice na chapa é o Coronel Silvio Benedito (PP). Ele é coronel da reserva remunerada da Polícia Militar de Goiás, onde ingressou em 1985. Nasceu em Goiânia, mas cresceu em Aparecida de Goiânia, onde reside atualmente.
Casado e pai de quatro filhos, ele tenta pela primeira vez uma eleição a cargo público. 

Na carreira militar, já foi comandante do 2º Comando Regional da Polícia Militar (2º CRPM) e comandante-geral da PM de Goiás. Se aposentou no início de março deste ano, aos 49 anos. 

- Coligação Para Aparecida Seguir Avançando (PMDB, SD, DEM, PR, PDT, PHS, PTC, PMB, PCdoB, PSD, PT, PSC, PRP, PPL) 

O candidato à Prefeitura de Aparecida de Goiânia pela coligação é o vereador Gustavo Mendanha (PMDB). Formado em educação física, ele já foi eleito vereador duas vezes e ocupou o cargo de presidente da Câmara Municipal da cidade. 

O candidato tem 33 anos, é casado e tem dois filhos. Ele é filho do ex-deputado Léo Mendanha e já foi secretário Municipal de Esportes na administração do atual prefeito da cidade, Maguito Vilela (PMDB).
Já o candidato à vice na chapa é o ex-vereador Veter Martins (SD). Ele mora na cidade há quase 30 anos e já foi vereador por dois mandatos. 

Ele é casado, tem 46 anos, e é pai de duas filhas.
O candidato já foi secretário Executivo da Secretaria de Estado de Governo, diretor administrativo e financeiro da Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) e, no ano passado, assumiu a presidência do seu partido, o Solidariedade. 

- Coligação Aparecida Merece Mais (PSB, PTB, PPS, PRTB, PRB) 

O deputado estadual Marlúcio Pereira, de 54 anos, é o candidato da coligação à Prefeitura de Aparecida de Goiânia. Ele já foi professor e, atualmente, estuda administração. Já foi vereador em 2001, suplente de senador em 2002, vice-prefeito de Aparecida de Goiânia em 2005 e deputado estadual em 2006, 2010 e 2014. 

O candidato nasceu em Cristalina, no Entorno do Distrito Federal, mas se mudou para Aparecida de Goiânia há quase 30 anos. Casado, ele é pai de dois filhos e tem três netos. 

Já o candidato à vice na chapa é o vereador William Ludovico (PTB). Casado e pai de cinco filhos, o candidato de 54 anos é advogado e filho de José Ludovico de Almeida e Geny Rodrigues de Almeida. 

Ele está no quarto mandato como vereador de Aparecida de Goiânia, onde já foi secretário Municipal de Ação Urbana e Meio Ambiente no governo de Ademir Menezes e diretor da Indústria Química do Estado de Goiás (Iquego). 

Eleições 2016: entenda o que é a declaração de bens dos candidatos e porque ela é inútil | Blog do Rei | Eleições 2016

b7b7a-qb2b1

Sem especificações sobre valor e tipo, a declaração de bens que os candidatos apresentam à Justiça Eleitoral acaba sendo apenas um documento dentre tantos outros na lista de obrigatoriedades no momento de registrar candidatura. 



 Previsto na resolução n° 23.455, a única exigência é que a listagem de patrimônio seja elaborada e assinada pelo candidato. 

 Outra obrigatoriedade é no quesito origem e mutação patrimonial, mas não a atualização dos valores dos bens – o que explica que da maioria dos documentos conste apenas o valor de compra do bem
 Fonte: Eleições 2016: entenda o que é a declaração de bens dos candidatos - Diário Catarinense

Nos braços da torcida, Walter chega para sua segunda passagem no Goiás – Eleições 2016 | Administrador de Sonhos

Atacante que estava no Atlético-PR é recepcionado com festa em Goiânia e comemora apoio dos esmeraldinos no aeroporto: "Sempre tiveram carinho muito grande comigo"



Fonte: Nos braços da torcida, Walter chega para sua segunda passagem no Goiás

Eleitor não banca candidato que, não sendo gestor, quer usar Goiânia pra obter experiência – Assuntos de Goiás – Eleições 2016



reinaldo12122
Tendência é o eleitor escolher gestor que, logo depois de assumir, longe de fazer experiências, até desastrosas, vai melhorar os serviços públicos. 

Para o Executivo, prevalece a ética da responsabilidade 


Seguidores