Reinaldo

Caiado se uniu aos adversários? Cenário eleitoral para 2022 está aberto e apoio do governador a Vanderlan nem ajuda nem atrapalha, diz Vilmar

Há algumas máximas na política que não são simples retóricas, podem significar um recado bem claro do que nos reserva o futuro. Quem nunca ouviu: "o aliado de hoje pode ser o adversário de amanhã". Ou que "em política nada é para sempre". Partindo dessa premissa, o presidente do PSD goiano e uma das principais lideranças do chamado tempo novo, Vilmar Rocha demonstrou que ainda sente saudades de velhos parceiros e, afirmou categoricamente que o cenário político em Goiás está aberto e qualquer aliança para a disputa de 2022, incluindo a aliança de seu partido, o PSD, com MDB e PSDB. 
O assunto veio à tona em uma entrevista concedida à Rádio Vera Cruz, em Goianésia, e repercutida pelo jornalista Caio Henrique Salgado em O Popular. “A eleição municipal apresenta tendências (...) e isso que está acontecendo aqui em Goianésia pode acontecer como um laboratório, uma projeção (para 2022)”, disse, citando a união histórica entre emedebistas e tucanos na cidade. 
À coluna Giro do jornal, Vilmar Rocha salientou que “um ciclo se encerrou em 2018”. “Como vai ser a composição desse novo ciclo, isso está em aberto. Daqui até 2022 muita coisa pode acontecer”, completou. 
O pessedista faz, no entanto uma ressalva, citando a disputa em Goiânia, onde seu partido lançou Vanderlan Cardoso com apoio do governador Ronaldo Caiado (DEM). “Estamos muito empenhados na campanha e acreditamos na vitória. A eleição em Goiânia é muito mais definidora e importante que em outros municípios.”
Leia mais: Vilmar Rocha diz que 2022 está aberto e não descarta aliança com MDB e PSDB

Comentários

Questão