O impacto do vídeo da reunião ministerial e a reação do governo






Segundo meios de comunicação, a gravação da reunião ministerial entregue para o STF pelo Planalto mostra o presidente dizendo que investigações poderiam prejudicar familiares e amigos. Bolsonaro teria afirmado que queria mudar cargos na Polícia Federal.
Mídia de cabeçalho


Em resposta, o presidente disse que os relatos da reunião são falsos. O ministro da Casa Civil, Braga Netto, negou em depoimento que Bolsonaro estava preocupado com sua própria segurança e que não o ouviu falando sobre troca na PF do Rio de Janeiro
Lauro Jardim e Fernando Gabeira analisam a reação do governo às acusações do ex-ministro da Justiça Sergio Moro contra o presidente Jair Bolsonaro. Ao pedir demissão, Moro afirmou que Bolsonaro tentou exercer influência política sobre a Polícia Federal. 
Em depoimentos no inquérito aberto no Supremo Tribunal Federal para analisar a denúncia, o diretor da Abin, Alexandre Ramagem, e três ministros militares dão a versão do governo. Os colunistas também comentam o isolamento do ministro da Saúde, Nelson Teich, que sequer foi informado pelo presidente sobre o decreto que classificou academias de ginástica e salões de beleza como atividades essenciais. 
Lauro e Gabeira falam, ainda, da polêmica entrevista concedida pela secretária de Cultura, Regina Duarte, à rede de TV CNN.

Comentários