Augusto Nunes joga a toalha: "Governo que assumiu em 1º de janeiro de 2019 terminou hoje"



Jornalista de ultra-direita, apaixonado por qualquer político ou partido que se coloque contra Lula e o PT, se viu der repente em uma saia justa ao ver Sérgio Moro não só deixar o governo Bolsonaro, mas também arrastar o presidente e seus filhos para vala comum da corrupção que eles diziam combater.
Sensatez nunca foi o forte de Augusto Nunes e de uns tempos pra cá tem demonstrado seu talento para puxar o saco de quem esteja no poder. É assim com Bolsonaro, é assim com Doria e era assim com Sérgio Moro desde os tempos de Curitiba.

Comentários