Marconi Perillo encabeça organização criminosa em plena atividade em Goiás, diz PF

O ex-governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), seria o líder de uma organização criminosa de coleta de propina e lavagem de dinheiro, cujos nomes presos na Operação Confraria, Jayme Rincón e Julio Vaz, seriam os integrantes. O esquema abarca, segundo a Polícia Federal (PF), as agências do Estado de Goiás pelas quais os envolvidos passaram ou ainda integram, entre elas a Agência Goiana de Transportes e Obras (Agetop), Companhia de Desenvolvimento Econômico de Goiás (Codego) e a Companhia Saneamento de Goiás (Saneago).
Em documento do Ministério Público Federal (MPF) consta que, além de longevo (opera pelo menos desde 2010, havendo indícios de que atue desde até mesmo antes, em 2006), o esquema permanece atualmente em plena atividade de coleta de propina e de lavagem de dinheiro. De acordo com o documento, “o mecanismo segue operando com as mesmas engrenagens”.
Leia mais... Marconi Perillo encabeça organização criminosa em plena atividade em Goiás, diz PF