Com menos de 3% dos selecionados em atividade no Mais Médicos, Governo cogita ir atrás dos inscritos

Ué, mas não estava tudo resolvido? Os médicos brasileiros que reclamavam do "Mais Médicos" não iam substituir com folga os cubanos? 
Alguma coisa não saiu com forme o previsto, alguém faltou ao ensaio. Salário de R$ 11 mil não é atrativo para os médicos brasileiros ir atender nos rincões do país, mesmo o Conselho Federal de Medicina garantindo que o Brasil possui médicos ativos, com registro nos Conselhos Regionais em número absolutamente suficiente para atender às necessidades da população sem a necessidade de profissionais estrangeiros... 
O Brasil não pode Jair se acostumando, o problema é grave e o Presidente foi eleito para resolver os problemas e não agrava los. Menos de 3% dos mais de oitos mil profissionais selecionados para o Programa Mais Médicos começaram efetivamente a trabalhar, são 230 médicos já “homologados” que se apresentaram nas cidades ou fizeram contatos com as prefeituras para acertar as condições de trabalho, segundo balanço do Ministério da Saúde divulgado nesta quinta-feira (29).
O Ministério da Saúde vai realizar um mutirão de ligações telefônicas para evitar desistências em massa. O objetivo é pedir que os médicos antecipem a ida ao município ou que avisem da desistência. O prazo final estipulado para início do trabalho no Mais Médicos é no dia 14 de dezembro.