sexta-feira, 17 de agosto de 2018

Com Alckimin e Centrão em baixa, Mídia e Mercado se desesperam com liderança de Lula e Bolsonaro

Uma sinuca de bico em que se encontra a Globo. Para quem não sabe, sinuca de bico é a situação em que a bola branca toca ou se aproxima do canto da mesa, impedindo que o jogador atinja outra bola. 
E a situação é complicada mesmo para a Rede Globo neste processo eleitoral. Os dois candidatos que lideram as intenções de voto, Lula e Bolsonaro, tem a emissora dos Marinho em sua pior conta, os ataques incessantes a ambos sugere uma guerra declarada entre o Grupo Globo e os candidatos. Uma guerra sem precedentes e calcada em revelações ou críticas jornalísticas que visam desestabilizar os concorrentes. 
A mídia, o mercado e os políticos acusados de golpe ou suspeitos de envolvimentos com algo ilícito sonham eleger Geraldo Alckimin ao Planalto e legitimar todos os atos que ocorreram desde o impeachment, mas o cenário é nebuloso neste sentido, se não reagir nas pesquisas eleitorais o ex-governador de São Paulo pode ser rifado por seus apoiadores antes mesmo do primeiro turno. A aposta na propaganda no Rádio e na TV é a última cartada para alavancar a candidatura do tucano, depois disso vão começar a ceder espaço em matérias jornalisticas e programas de Rádio e TV que compense a falta de tempo de TV que Marina Silva dispõe. 
O candidato preferido é Geraldo Alckimin, e Marina Silva é aquela que pode ser considerada mais maleável e menos radical, caso vença as eleições, do que Lula e Bolsonaro.

Seguidores