quinta-feira, 26 de julho de 2018

Futura presidente do Tribunal de Justiça de MS é investigada por suspeita de interferir em um julgamento

O Conselho Estadual da secional de Mato Grosso do Sul da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MS) solicitará providências à Procuradoria Geral da República (PGR) e ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ). 
Diante do suposto envolvido da desembargadora Tânia Garcia Freitas Borges com a Máfia dos Cigarreiros, desmantelada pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), unidade do Ministério Público Estadual, a OAB considera prudente que Tânia seja afastada.
Além de presidir o TRE, Tânia Borges é cotada para assumir o TJMS ainda este ano, em meio a uma série de ações que a tornaram alvos de investigações. Ontem, o Jornal Nacional exibiu matéria em que explicou como o Gaeco investiga a desembargadora, suspeita de ligação com cigarreiros. 
Ela usava a influência para negociar sentenças em benefício de contrabandistas

Seguidores