TV R

sexta-feira, 20 de maio de 2016

Racha à vista: Poder de Eduardo Cunha em governo Temer irrita Renan Calheiros | @Reinaldo_Cruz – Assuntos de Goiás – Questão Brasil

Para Renan Calheiros, deputado está "tutelando" o Palácio do Planalto. 

O antes Vice decorativo, Michel Temer, tenta não passar para história como um Presidente interino e igualmente decorativo, para tanto tenta ganhar a confiança do presidente do Congresso Nacional, Renan Calheiros (PMDB-AL), para facilitar uma coalização para aprovação de projetos emergenciais, mas o senador aponta para os mais próximos os erros do presidente interino logo na largada do novo governo. 

 Um dos pontos cruciais que pode trazer a desavença entre legislativo e executivo atende pelo nome de Eduardo Cunha que mesmo estando afastado da Presidência da Câmara e do mandato parlamentar pelo STF, continua dando as cartas e muita dor de cabeça para Temer. 

 E por falar no homem que incomoda, ninguém entende porque ele ainda não foi preso em flagrante delito em face de estar em consumação um crime permanente. Crimes permanentes, consoante a doutrina, são os que geram uma situação danosa ou perigosa, que se prolonga. 

 É crime permanente, por exemplo, a lavagem de dinheiro de origem ilícita, com ocultação no exterior. Como todos sabem, Cunha, embora negue, possui contas no exterior não declaradas à Receita Federal e com capital de origem suspeita. 

Ele até admitiu, em evidente tentativa de ocultação de origem patrimonial, a constituição de um truste (instituto de marca anglo-saxônica voltado à proteção patrimonial e não à ocultação de capitais de origem criminosa), sob sua administração. 

 Depois de comparecer ao Conselho de Ética da Câmara, onde prestou depoimento, prometeu em conversa com os jornalistas, que voltará a frequentar seu gabinete à partir da próxima segunda-feira. 

Diante do estranhamento dos jornalistas, ele deu de ombros.

“Eu estou afastado do exercício do mandato, não de frequentar meu gabinete, até porque continuam todos lá trabalhando". E ainda debochou "Só não volto hoje mesmo porque estou muito cansado” 

 A cara de pau de Cunha diante da inércia da Justiça brasileira, deixa no ar a sensação de impunidade, a concretização de que o crime no Brasil compensa e políticos com foro privilégiado não são ameaçados de prisão, mesmo tendo contra eles inúmeras provas. 

Renan Calheiros tem a preocupação com o poder exagerado de Cunha, não porque pensa no Brasil, na ética ou quer que o Governo Temer entre para história como aquele que extinguiu a corrupção, Renan teme que a influência da exposição de Cunha junto ao Presidente interino possa levar o Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, a tomar atitudes mais enérgicas contra todos os suspeitos de corrupção, apenas para mostrar que as instituições funcionam plenamente e de forma imparcial. 

Seguidores