TV R

sábado, 7 de novembro de 2015

Não é piada? Principal suspeito de saquear a estatal, PT é o único que saiu em defesa da Petrobras

O ato “Defender a Petrobras é defender o Brasil” foi convocato pela CUT e pela Federação Única dos Petroleiros (FUP). Além de Lula, estão previstos para participar do ato sindicalistas, advogados, jornalistas e intelectuais.

No manifesto, o grupo diz que há uma "campanha visando à desmoralização da Petrobrás, com reflexos diretos sobre o setor de Óleo e Gás, responsável por investimentos e geração de empregos em todo o País; campanha que já prejudicou a empresa e o setor em escala muito superior à dos desvios investigados".

Depois dos dois confrontos físicos entre o grupo contrário ao PT e os petistas, os que defendem o impeachment de Dilma se dispersaram. Representes dos sindicatos que organizam o ato pediam aos seus militantes que não respondessem ás provocações. 

No entanto, por duas vezes pessoas que passaram pela calçada e gritaram palavras contrárias ao atual governo foram atacadas com garrafas de água vazias e insultos. Houve um momento em que militantes do PT jogaram ovos no grupo que gritava  "Fora Dilma".

Com a camisa rasgada e exibindo o crachá de funcionário da Petrobras quebrado, o engenheiro Vinicius Prado, de 27 anos, disse que fez questão de ir para a porta da ABI para se posicionar contra a presença do ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva em um ato em defesa da estatal. Ele foi agredido por militantes petistas que o atacaram enquanto ele gritava com outras pessoas palavras contra o partido.
G1 - Ato em defesa da Petrobras tem briga de militantes pró e contra PT no Rio - notícias em Rio de Janeiro


Seguidores