TV R

sexta-feira, 22 de maio de 2015

São Paulo escolheu Washington em vez de Danilo e viu nascer seu maior carrasco

Quem explica a existência de tal dilema para o São Paulo naquele fim de 2009 é quem o construiu.
Gilmar Rinaldi, hoje coordenador de seleções da CBF, era empresário tanto de Washington como de Danilo, e mantinha ótima relação com o São Paulo – clube para o qual, no ano anterior, havia levado Adriano, o Imperador. Como gerenciava a carreira de poucos atletas, Rinaldi preferia não ter dois clientes no mesmo clube. E explicou isso ao São Paulo, que manifestava intenso interesse pela volta de Danilo: ou renovava com Washington, ou contratava Danilo.

"Na época eu trabalhava com o Washington, e ele estava negociando renovação de contrato com o São Paulo. Então eu falei com o São Paulo, eles tinham interesse no Danilo, mas tinham que escolher se iriam renovar com o Washington. Quando o Danilo conseguiu a liberação no Japão o Andrés [Sanchez, ex-presidente do Corinthians] me ligou e eu dei a prioridade ao Corinthians. Depois o São Paulo ainda tentou falar com o Danilo, mas a prioridade já era para o Corinthians", conta Gilmar Rinaldi, hoje.

A análise hoje, cinco anos depois, é óbvia. Depois de deixar o Kashima Antlers, no Japão, Danilo está há cinco anos no Corinthians, venceu Mundial, Libertadores, Brasileirão, Recopa Sul-Americana, Paulistão e ainda virou o maior carrasco são-paulino da história do Majestoso – o clássico Corinthians x São Paulo – nos tempos modernos.
SP escolheu Washington em vez de Danilo e viu nascer seu maior carrasco - Futebol - UOL Esporte


Seguidores