TV R

sábado, 7 de dezembro de 2013

Sucesso político no Brasil em 2014 depende do que Felipão e Neymar conquistarem na Copa

O Brasil de 2014 nunca foi tanto o país do futebol, como será neste ano em função da Copa do Mundo da FIFA. O resultado das eleições de 2014 esta atrelado ao que vier a acontecer nos gramados Brasil a fora. Isso implica dizer que um desastre com o time de Felipão em campo, pode acender o sentimento de indignação dos brasileiros e significar mudanças de rumos para a população, para aqueles que almejam conquistar uma das vagas eletivas em 2014.

Os partidos que no momento detém o poder, nas esferas municipal, estadual e federal temem que as vozes das ruas voltem a ecoar através dos protestos, que no ano da Copa do Mundo, tiram o sono da FIFA, mas já causa insônia desde já na maioria dos políticos brasileiros, que até imaginavam tirar um proveito maior do evento esportivo mais concorrido do planeta, e assim angariar os votinhos necessários para garantir o poder por pelo menos mais quatro anos. Mais do que driblar os escândalos de corrupção que pipocam a todo instante na imprensa e redes sociais, os figurões da política brasileira terão que torcer para que a marcação funcione sobre Messi, CR7, Balotelli e Cia, para que Neymar e seus companheiros possam sorrir dentro de campo e acalmar ímpeto que com certeza virá das ruas e sufocar o grito que estará clamando por mudanças estruturais em nosso sistema político.
A reeleição de Dilma Rousseff passa obrigatoriamente pelo vestiário da seleção brasileira comandada por Felipão, se observarmos os acontecimentos durante a Copa das Confederações em que a população não tinha uma pauta de reivindicações definidas, mas mostrava aos políticos a sua insatisfação com o modo como a política vem sendo conduzida e mais ainda com os próprios políticos, que demoraram a ter esta leitura e até hoje não deram uma resposta convincente a sociedade. Antes das manifestações de Junho a Presidente Dilma Rousseff e o PT usufruíam de uma popularidade e aprovação de mais de 80% dos brasileiros, mas que após as reivindicações ecoarem nas ruas do país, viu esta aprovação despencar de forma vertiginosa e a aprovação descer, ao patamar de 30%.
A definição de candidaturas terá o auge durante a Copa, e justamente após o encerramento do evento FIFA, vão se iniciar os trabalhos de partidos e candidatos, visando conquistar a confiança e o voto dos eleitores. Os protestos de Junho, durante a Copa das Confederações, nunca foram especificamente contra a Presidente Dilma ou contra o PT, apesar das muitas tentativas dos oportunistas de plantão, de levar o desejo de mudança de um povo para este lado, em 2014 o sucesso da Presidente Dilma e de qualquer partido que esteja no poder, passa necessariamente pelo que fizer em campo em 30 dias de Copa do Mundo, o Neymar, o Fred ou Hulck.
Exagero? Claro que não, apenas uma conclusão realista diante do que aconteceu em 2013 e pode se repetir com maior intensidade em 2014, o futebol e o consequente sucesso ou fracasso de nossa seleção terá influência decisiva no pleito que vem a seguir e esta observação vale para o cargo de Presidente, Governadores, Senadores e Deputados que vão concorrer a uma das vagas na próxima eleição
Leia também:  Jornal Nacional - OMC fecha primeiro acordo em quase 20 anos
Brasil e China lançam novo satélite de sensoriamento remoto | Brasil/Mundo - Correio do Estado

Seguidores